Fui sozinha às Canárias

March 19, 2018

Quando se trabalha em programas de entretenimento para TV nunca se sabe muito bem quando se terá férias. E há uns anos atrás, com muito pouco tempo para combinar coisas e com uma urgência enorme de deitar o rabo na praia e nunca mais de lá o tirar, marquei as minhas férias para as Canárias!

Já tinha viajado sozinha uma vez para Roma, mas fiquei em casa de uma amiga que durante o dia estudava. Desta vez não conhecia nada nem ninguém - mas não me assustei com isso.


O meu amigo Zé Manel tinha lá estado e recomendou-me ficar nas Maspalomas no sul da Gran Canária que, apesar de mais turística, tem das praias mais bonitas da ilha. 
Marquei o hotel Bohemia Suites & Spa para quase toda a estadia e deixei as duas últimas noites por decidir.

É de facto uma zona muito turística com pouca coisa para fazer - mesmo o que eu estava a precisar.

Metade da viagem passei entre a Playa del Ingles e a piscina do hotel. Junto à praia tem um dos meus sítios favoritos de toda a viagem: 6km de dunas - uma sensação de paz impossível de descrever - consegue-se passear horas por lá sem se cruzar com ninguém.


Há pouco para fazer nas Maspalomas: tem a praia, um paredão cheio de bares turísticos giros para beber umas cervejas depois da praia e pouco mais. Toda a gente se parece conhecer e ao fim de dois dias já reconheciam o meu carro verde na zona dos bares - "a portuguesa que trabalha em TV" - mas não fiquei fã da vida noctura. Há música ao vivo e espectáculos-tipo-Algarve-para-turistas nos restaurantes junto da praia e, para além disso, duas ou três discotecas (ver Dicas em baixo).

Como a Gran Canária tem uma cultura LGBT fortíssima, acredito que a experiência seja bem mais gira nesses casos. O famoso Yumbo (centro comercial) fica nas Maspalomas e tem muitos bares e discotecas LGBT.


A outra metade dos dias andei a explorar praias e a ilha em si. Alugar um carro na Gran Canária é indispensável porque tem paisagens tão ou mais bonitas que as praias. Tem muitas montanhas, fui aos pontos mais altos, percorri estradas, umas movimentadas outras desertas, parei, fotografei e senti uma liberdade que dificilmente se sente quando viajamos com mais alguém.


Num dos dias fui a Las Palmas (capital da ilha) que fica a norte, a 40min. de Maspalomas.
Tem um trânsito louco e é um caos para estacionar o carro, mas adorei as praias e o ambiente. Pareceu-me menos turístico, mais autêntico.

Acabei por ficar as duas últimas noites no mesmo hotel nas Maspalomas, mas há muitas opções de alojamento rural no meio das montanhas que tambem gostava de ter experimentado.


Não me arrependo nada de ter ido sozinha, mas não me senti segura muitas vezes e por isso recomendo cuidado a quem pensar fazer o mesmo.

Fui avisada que há fama de colocarem substâncias nas bebidas - e por isso aconselho a não aceitarem nenhuma bebida de oferta (mesmo os shots que tentam oferecer nos restaurantes depois das refeições). Eu apanhei um susto e ainda hoje não tenho a certeza do que se passou - mas se se tiver cuidado, é uma viagem espectacular, daquelas onde temos tempo de ler um ou dois livros e ficamos cansados de tanto descanso!

Dicas


- Kasbah
Zona de bares nas Maspalomas. Tem a discoteca Plaza e Pacha (não gostei do ambiente nem da música) e o bar Dolce Gb onde acabei por ir praticamente todas as noites.

- Playa de Los Amadores
Fica a uns 20min. de carro da Playa del Ingles e é considerada uma das praias mais giras da Gran Canária.

- Roque Nublo
Um dos pontos mais altos da ilha. O caminho para lá é giríssimo de carro e tem muitas zonas para explorar à volta.

- Barranco de Guayadeque
É uma zona para ir de carro e explorar e tem três restaurantes na montanha. Aconselho o terceiro (mais alto) - tem uma vista de morrer e a comida é típica das Canárias.

- Festa num barco
Há festas em barcos a toda a hora. Penso que os bilhetes não incluem bebidas e há sítios em Kasbah onde se vendem mais baratos. Eu não consegui ir mas pelo que vi da praia - recomendo!

Sobre Mim

Vivo em Londres há dois anos e tenho muitas saudades de escrever em português e essa é a principal razão pela qual criei este projecto. Sou uma eterna insatisfeita, apaixonada pela área criativa e viciada em comida italiana.