O dia em que publiquei o meu livro

February 21, 2018

Sempre escrevi. Lembro-me de ser miúda e escrever cartas para a minha mãe quando nos chateávamos. Sempre achei que me explicava melhor através da caneta. Depois entrei na fase das letras de música e dos raps. Escrevia raps como quem bebia água - uns péssimos, outros menos maus (continuo a achar que perdi toda uma oportunidade de carreira!). E depois os blogs. E os poemas. E as crónicas.

E foi assim durante anos a escrever blogs e a apagar porque não eram bons o suficiente. Uma auto crítica constante e que tende em não desaparecer. Até que um dia alguém achou que eu até nem escrevia mal e assim publiquei o meu piroso e romântico livro "até fugia, amor" - um conjunto de poemas e crónicas que fui escrevendo ao longo de um ou dois anos.


O lançamento do livro foi no Palácio da Ajuda - uma honra. Pouco depois foi inaugurado na Fnac do chiado.
Foi um dia maravilhoso cheio de amigos e senti-me uma princesa não por ter publicado o livro em si - mas por ter tocado pessoas a quem valorizo tanto a opinião - e pela quantidade de amigos que tenho e nem sabia.

Hoje olho para trás e o livro diz-me zero. Ou pouco. Não mais me identifico com o que escrevi nem com o que senti - mas penso que isso seja chamada evolução. 

Sobre Mim

Vivo em Londres há dois anos e tenho muitas saudades de escrever em português e essa é a principal razão pela qual criei este projecto. Sou uma eterna insatisfeita, apaixonada pela área criativa e viciada em comida italiana.