Ser freelancer em Londres

February 21, 2018

Quando vim para Londres comecei a trabalhar a full-time passados quatro meses. Não foi em produção mas pelo menos estava na área certa que era o meu objectivo. 

Soube que precisavam de uma editora de vídeo numa produtora para onde um amigo tinha feito uns trabalhos. Foi provavelmente a minha mais desafiante entrevista até hoje: 

Concorri para um trabalho sem ter experiência profissional do trabalho ao qual estava a concorrer, com softwares que nunca tinha usado, e numa língua que não é a minha.

Alguma coisa hão de ter gostado - provavelmente a honestidade e a motivação - pelo que fiquei com o trabalho.

Ao fim de um ano e três meses achei que tinha juntado portfólio que chegasse para me tornar freelancer. Sempre tive curiosidade de experimentar porque tem muito mais a ver com o estilo de vida em que acredito.

Comecei em Agosto e começou bem: praticamente um mês com trabalho. Primeiro na mesma produtora da qual saí. Depois numa outra onde editei o meu primeiro anúncio para televisão (admito que quando o vi na ITV me caiu uma lágrima. Estou a brincar. Não estou).

Não sei se foi sorte de principiante porque nem sempre foi assim. É desafiante ser-se freelancer em qualquer parte do mundo mas quando estamos num país que não é o nosso, com regras às quais não estamos habituados e onde temos de começar um network todo do zero, torna-se mais ainda.

Há semanas em que não há trabalho. E há meses baixos para todos os freelancers (muita gente da área tira férias no mês de Janeiro porque as empresas ainda não iniciaram nenhuns projectos). Mas passados mais de seis meses nesta vida, não me arrependo nem um bocadinho. 

Tenho trabalhado em projectos incríveis, para marcas que até lá nunca ponderei poder vir a trabalhar. E tenho conhecido diferentes produtoras, agências, ambientes e criativos. Tem sido uma aprendizagem constante.

Dicas para arranjar trabalho

  • Criar um website com o portfólio (em Londres praticamente todos os criativos têm um website para apresentar o portfólio)
  • Registar em plataformas online. Exemplo: Mandy
  • Entrar em grupos exclusivos a freelancers da indústria no Facebook (a maioria das empresas que precisa de equipa para projectos põe as vagas nestes grupos. Geralmente é também uma questão de sorte e ser um dos primeiros a responder é importante - aconselho que activem as notificações nestes grupos de forma a não perderem nenhuma oportunidade)
  • Ver diariamente as vagas em agências de recrutamento online. Exemplo: GrapeVineJobs
  • Criar um bom network no LinkedIn e publicar no perfil quando se está disponível para trabalhar
  • Assinar com uma agência. Exemplo: Soho Editors

Outras dicas

Contabilidade
Aconselho que o primeiro passo seja encontrar um contabilista (ou empresa). Há várias sugestões no website do governo ou podem fazer uma pesquisa online. Os valores rondam as £130 por mês se contratarem os serviços de uma empresa de contabilidade. Se contratarem um contabilista freelancer será mais barato. Informem-se da diferença entre ser freelancer como Solde Trader e de abrir uma Empresa Limitada.

Valores
Os valores dependem do cargo, tipo de projecto e do budget que o cliente tem, mas diria que nenhum cargo recebe menos de £250 por dia. 

É raro mas há empresas a pagarem "meios dias". Os freelancers em Londres geralmente não aceitam pois trabalhando meio dia a receber metade, estão a perder outro possível trabalho para outro possível cliente a receber o dia inteiro. Geralmente recebe-se o valor diário trabalhe-se 3 horas ou 10 horas.

Sobre Mim

Vivo em Londres há dois anos e tenho muitas saudades de escrever em português e essa é a principal razão pela qual criei este projecto. Sou uma eterna insatisfeita, apaixonada pela área criativa e viciada em comida italiana.